BUSCA + enter






Introdução | Lincoln e a Abolição | O Discurso de Gettysburg | A Reconstrução e a Segregação | Dois integrantes da Klan | O Compromisso de Atlanta | O Movimento pelos Direitos Civis | Mais adiante de Lincoln | Eu tenho um sonho! | Conclusões | Evolução demográfica dos E.U.A. (1790-1960) | Bibliografia

A luta pelos Direitos Civis
De Abraham Lincoln a Martin Luther King

Introdução


“...o gradual desenvolvimento da igualdade é uma realidade providencial. Dessa realidade tem ele as principais características: é universal, é durável, foge dia a dia à interferência humana; todos os acontecimentos assim como todos os homens servem ao seu desenvolvimento. Seria prudente imaginar um movimento social de tão remotas origens pudesse ser detido por uma geração? Pode-se conceber que, após ter destruído o sistema feudal e vencido os reis, irá agora a democracia recuar ante a burguesia e a classe rica? Agora que se tornou tão forte, e tão frágeis os seus adversários, deter-se-á ainda?” - Alexis de Tocqueville - A Democracia na América, 1835

Após quase meio século de silencioso descontentamento, na década dos 50 os negros norte-americanos voltaram a reagir contra a situação de inferioridade e exclusão que as leis dos brancos os condenaram. Ergueram-se contra a discriminação e a segregação racial que sofriam no seu país. Por todos estados do Sul dos Estados Unidos imperavam ainda velhas leis racistas que tornaram-nos párias sociais, ou um meio-cidadão. Se Convocam-nos para servir no exército e lutar nas guerras, mas impediam-nos de votar e de freqüentar uma escola pública com os demais brancos. Negavam-lhes hospedagem nos hotéis e nem em lanchonetes eram atendido.

Foi este estado de coisas chocante que foi questionado pelo Civil Reigths Movement, o Movimento pelos Direitos Civis, que tomou corpo então. Como pano de fundo, alimentando a contestação, estava o processo de emancipação do Terceiro Mundo, quando os povos de cor da Ásia e da África iniciaram a luta pela descolonização. Eles não aceitavam mais o estatuto colonial em que estavam submetidos, subjugados pelos colonizadores europeus. Houve, portanto, uma mútua influência entre o processo de Descolonização do Terceiro Mundo e a retomada do Movimento dos Direitos Civis dos negros norte-americanos. Mas estes, os americanos, achavam-se na retaguarda, o que levou o escritor James Baldwin a dizer que parecia mais fácil “a África inteira conseguir a sua liberdade antes de nós conseguimos tomar sequer uma xícara de café”, num bar dos brancos.(*)

Das grandes personalidades que emergiram nesse duplo movimento de emancipação, africano e americano, nenhuma atingiu a universalidade e a popularidade do reverendo Martin Luther King, Jr., Prêmio Nobel da Paz de 1964, e que terminou por ser assassinado em 4 de abril de 1968, em Memphis, a capital do estado racista do Alabama.

O dr. King ainda teve a felicidade de presenciar a assinatura do Civil Reights Act, a Lei dos Diretos Civis, sancionada pelo Presidente Lyndon B. Johnson em agosto de 1964, tornando ilegal e inconstitucional a segregação e a discriminação racial em todos os estados da união norte-americana.

(*) atribui-se a demora pelo ressurgimento desse movimento ao clima de Guerra Fria criado no após-guerra e ao macartismo (1946-1954), que facilmente poderia acusar os defensores dos direitos civis como “comunistas”.

|



 ÍNDICE DE MUNDO





 
 » Conheça o Terra em outros países Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2002,Terra Networks, S.A Proibida sua reprodução total ou parcial
  Anuncie  | Assine | Central de Assinante | Clube Terra | Fale com o Terra | Aviso Legal | Política de Privacidade