A África nas relações internacionais

Parte I
A construção dos Estados nacionais africanos

Descolonização e independência dos países africanos

Parte II
O fim da Guerra Fria e a negociação dos conflitos

Persistência e "tribalização" dos conflitos africanos

Parte III
Os conflitos do Magreb e da África Ocidental

A diplomacia da nova África do Sul

O genocídio na região dos lagos africanos e o fim do Zaire

Parte IV
A reafirmação da África no sistema mundial



Outros artigos
06 maio de 2003

A África nas Relações Internacionais (parte III)

A diplomacia da nova África do Sul
Apesar destes problemas, existem alguns processos positivos que sinalizam o reafirmação da África na cena internacional. É o caso da África Austral, outra região considerada estratégica para a "nova ordem mundial", devido a suas reservas minerais e sua importante posição geopolítica. Tanto aqui como no Oriente Médio, os conflitos regionais conduziam à radicalização social, à instabilidade diplomática e aos excessivos gastos em defesa e segurança, os quais foram consumindo as riquezas locais, obrigando o Ocidente à auxiliá-las economicamente. O Apartheid começou a ser desativado pelo presidente Frederik De Klerk, num tortuoso processo que culminou com a eleição de Mandela à presidência do país em 1994. Este caminho foi difícil, com inúmeros conflitos internos, o que também veio a ocorrer com os processos de paz em Angola e Moçambique, só concluídos após a vitória do Congresso Nacional Africano na África do Sul. Apesar da situação ainda não haver sido resolvida em Angola, a queda de Mobutu no Zaire deixou a UNITA ainda mais isolada.

Embora a situação interna sul-africana seja difícil, especialmente quanto aos problemas sociais que afetam a maioria negra, começa a esboçar-se uma área de integração na África Austral, em torno da nova África do Sul. O processo de paz traz implícita a integração econômica da região, permitindo virtualmente uma maior estabilidade social e diplomática, bem como uma inserção internacional menos onerosa desta área no movimento de globalização econômica em curso. Paralelamente, a nova diplomacia sul-africana abriu possibilidades de mudança na política regional, pois a África do Sul ingressou na OUA e no Movimento dos Não Alinhados, cortou relações com Taiwan e as estabeleceu com a República Popular da China, e tem buscado romper o isolamento estabelecido pelos EUA em relação à Líbia, Nigéria, Sudão e Cuba. Além disso, o estabelecimento em 1993, por iniciativa brasileira, da Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul, cria possibilidades de cooperação sistemática entre a África Austral e os países do Mercosul, recriando certa margem de manobra internacional.


página anterior      próxima página

 
 » Conheça o Terra em outros países Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2005,Terra Networks, S.A Proibida sua reprodução total ou parcial
  Anuncie  | Assine | Central de Assinante | Clube Terra | Fale com o Terra | Aviso Legal | Política de Privacidade