A Origem da Dengue

Professora Regina Marques da Silva

De origem espanhola, a palavra dengue significa "melindre", "manha", estado em que se encontra a pessoa contaminada pelo arbovírus (abreviatura do inglês de arthropod-bornvirus, vírus oriundo dos artrópodos), no caso, encontrado na fêmea do mosquito Aedes aegypti ou na do Aedes albopictus, esse último conhecido como "tigre asiático" (foto).

Esse vírus está presente no Brasil desde 1982 na forma benigna, mas a partir de 1990 têm sido registrados alguns casos de dengue hemorrágica, que pode levar à morte.

No Brasil, o agente transmissor da dengue é o Aedes aegypti , um mosquito pequeno, delgado e escuro, que possui hábitos diurnos e vive dentro ou nas proximidades das habitações urbanas. Sua reprodução ocorre em locais de água parada, como lagos, poças de água e água contida em garrafas, vasos, pneus velhos jogados em quintais.

Sintomas
Após um período de incubação de alguns dias, a doença manifesta-se desencadeando uma febre súbita, acompanhada de fortes dores musculares e nas articulações ósseas - daí o nome popular de "quebra-ossos". Surgem manchas avermelhadas no corpo, dores de cabeça e nítida sensação de cansaço, além de fotofobia (aversão à luz), lacrimação, inflamação na garganta e sangramento na boca e nariz.

Não existe tratamento especial para a doença, mas é indispensável os seguintes cuidados: manter-se em repouso; beber muito líquido e, quando indicado por médicos, o uso de medicamentos para alívio das dores e interrupção do estado febril, porém nunca medicamentos que contenham ácido acetil salicílico, como a Aspirina e o AAS.

Profilaxia
Eliminar os focos de reprodução como retirar água parada no interior de garrafas, pneus e vasos; tampar caixas-d’água; usar tela protetora em janelas e portas para impedir o acesso do mosquito (em residências próximas a lagos, rios e represas); usar inseticida e desinfetantes domésticos, que embora não eliminam, podem diminuir a presença dos mosquitos.

Como existem variedades de vírus causadores da dengue, a pessoa infectada só adquire imunidade à variedade que adquiriu.

É importante distinguir o dengue clássico do hemorrágico, que tem no presente momento relatos de óbitos no Rio de Janeiro (04/98), e que está provavelmente ligado a um mecanismo imunológico.

Saiba mais sobre a dengue hemorrágica: " Parece estar ligado a um mecanismo imunológico decorrente de sensibilização prévia, onde, em uma segunda infecção, os anticorpos tipo Ig G, subneutralizantes para outros sorotipos, formariam imunocomplexos com o antígeno circulante, afetando profundamente as membranas plasmáticas dos fagócitos mononucleares e facilitando a migração dos antígenos virais aos tecidos da medula óssea, fígado, baço e gânglios linfático. Podem, também, provocar hemorragias digestivas, distúrbios de coagulação sanguínea, trombocitopenia e coagulação intravascular disseminada, levando ao óbito."

EXERCÍCIOS:

1. (Fuvest-SP) Doenças como a dengue, febre amarela e mesmo a malária, há muito irradicada dos grandes centros urbanos brasileiros, podem reaparecer, como aconteceu recentemente em áreas urbanas como São Paulo e Rio de Janeiro. Uma condição que propicia o reaparecimento das doenças citadas é:

a) aumento exagerado do aumento da poluição do ar

b) ingestão de alimentos contaminados por agrotóxicos

c) proliferação de criadouros de mosquitos vetores

d) ingestão de água contaminada por esgotos

e) aumento da radiação ambiental causada pelas usinas nucleares

 

2. (Fuvest-SP) Que doenças poderiam ser evitadas com a eliminação de reservatórios de água parada onde se reproduzem insetos vetores?

a) cólera, dengue, esquistossomose

b) cólera, dengue, malária

c) cólera, esquistossomose, febre amarela

d) dengue, febre amarela, malária

e) esquistossomose, febre amarela, malária

 

3. (Cesgranrio) Alterações genéticas do transmissor pode acabar com a dengue.

" A engenharia genética está prometendo uma solução para um dos flagelos dos países tropicais como o Brasil. A idéia é impedir a implantação do agente causal nos transmissores." (Folha de São Paulo, 12/05/96)

O transmissor e o agente causal da dengue são, respectivamente, um:

a) mosquito e um vírus

b) mosquito e uma bactéria

c) percevejo e um vírus

d) percevejo e uma bactéria

e) barbeiro e um protozoário

 

4. (Unicamp-SP) Um pouco alarmado com a elevada ocorrência de dengue transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, um morador de Campinas telefonou para a Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) e relatou que havia sido picado na mata, à noite, por um mosquito grande e amarelado. Relatou também que, no dia seguinte, começou a ter febre e sentir dores nas articulações. O biólogo da Sucen, ao saber que esse senhor não tinha viajado para qualquer área endêmica da doença, tranquilizou-o dizendo que certamente não teria contraído a dengue, embora fosse importante que ele procurasse atendimento médico. Cite cinco fatos relatados acima que levaram o biólogo da Sucen a concluir que essa pessoa não estava com dengue.

GABARITOS:

1. C

2. D

3. A

4. 1º) O Aedes aegypti possui hábitos diurnos e o morados disse que foi picado à noite; 2º) ele não é amarelo, sua coloração é escura; 3º) ele têm hábitos urbanos, vivendo dentro ou nas proximidades da habitações humanas - mas o morador relatou que foi picado na mata, 4º) ele não tem grande porte: é muito pequeno; 5º) o período de incubação do vírus é de alguns dias, assim, a doença não se manifestaria no dia seguinte ao da picada do mosquito. Além das considerações acima, o morados não viajou para áreas endêmicas da doença.